Xangô

xango

Xangô, sincretizado com São Jerônimo, é o Senhor da Justiça, cujo atributo é a sabedoria a fim de exercer a Justiça Divina, aferindo em sua balança todas as almas. Por meio da manipulação do elemento fogo, Xangô, mais do que fazer cumprir a lei cármica para todos os seres viventes, ilumina o caminho a ser seguido, bem como ajuda a libertar dos grilhões milenares dos enganos que escravizam a consciência.

A sua Lei é como a rocha: dura e justa. Xangô é o fogo latente na pedra, e, ao mesmo tempo, possui seus atributos: rigidez, implacabilidade e estabilidade. Isto equivale a dizer que não cede nem à flexão e nem à pressão, julga de forma direta, mas sem precipitação, e finalmente estabelece a ordem tranquilizadora. Portanto, esta vibração nos adverte que sua presença, a Justiça, é necessária para que haja a verdadeira estabilidade e fortalecimento na alma, individual e universal. Dono das leis e das escritas, padroeiro dos intelectuais, Xangô é o Orixá da sabedoria, que gera o poder da política, é a ele que recorremos para resolver problemas com papéis, documentos e estudos.

Devemos pensar duas vezes antes de clamarmos por justiça, pois se a nossa demanda for justa, ele nos amparará; e se não for, aos rigores de sua lei, seremos chamados e o seu raio de correção virá para cima de nós mesmos. Então, quando nos sentirmos injustiçados, devemos pedir que Xangô nos esclareça e, se estivermos certos, então que ele esclareça a outra parte; e se esta não ouvir, então não precisamos nem pedir – a lei de ação e reação é automática e se cumprirá a justiça de Xangô em nossas vidas.

Orixá da Justiça, é o fogo que nos purifica, o senhor das pedreiras e trovões. Tem a qualidade equilibradora e a transmite a tudo e a todos. Quem absorvê-la torna-se racional, ajuizado e ótimo equilibrador, tanto dos que vivem à sua volta como do próprio meio em que vive; um juiz é um exemplo bem característico dessa qualidade equilibradora irradiada por Xangô.

Xangô é miticamente um rei, alguém que cuida da administração do poder e, principalmente, da justiça.

Quando evocamos a presença dele, só o fazemos se for para devolver o equilíbrio e a razão a seres e procedimentos desequilibrados e emocionados, ou para clamar pela Justiça Divina, que atuará em nossa vida anulando demandas cármicas, magias negras etc, devolvendo-nos a paz, a harmonia e o equilíbrio mental, emocional, racional e até nossa saúde, pois, para estarmos saudáveis, devemos estar em equilíbrio vibratório também no corpo físico.

Os símbolos que identificam Xangô são:

  • Os machados de duplo corte, que significam a alma em busca de equilíbrio, bem como são símbolos de imparcialidade.
  • A balança, que significa a justiça.
  • A estrela de seis pontas, associada com a sabedoria de Sa­lomão, e que representa o equilíbrio entre o céu e a terra, a água e o fogo, o ho­mem e a mulher, ou seja, representa o equilíbrio universal.

Legiões de Xangô:
Xangô Kaô – É o principal e mais cultuado como dirigente desta linha. Também conhecido como Xangô Velho. Vibra na cor marrom escuro, simbolizando a pedra antiga na qual foi assentada a justiça, evidenciando a sabedoria. Ele atua na pedreira sobre a qual está assentado o campo florido que recebe as obrigações de Oxalá.

Xangô da Pedra Preta – Esta legião trabalha nas pedras solitárias dos caminhos ou das matas que servem de assento a viajantes ou caçadores cansados, como os convidando à meditação que leva à sabedoria na busca de soluções para os impasses da vida. Suas vibrações auxiliam oradores, intelectuais, juristas e juízes, pois defendem integralmente a pureza moral. Suas oferendas são realizadas nas pedras solitárias.

Xangô das Pedreiras – Legião dos caboclos que trabalham nas pedras e que estão dentro dos rios, nos seixos rolados, nas pedras iniciáticas e na pedra batismal.

Xangô das Cachoeiras – Esta legião trabalha na pedra da cachoeira, simbolizando a harmonia entre o amor e a justiça. Ou entre a esposa Oxum e o marido Xangô, ou ainda a harmonia conjugal, que abençoa a família.

Xangô das Sete Montanhas – É a legião de caboclos que trabalham nas montanhas de pedra ou cadeias de montanhas interligadas, serras etc. Sua força é muito solicitada nas horas de aflição, quando se perde algo, além de proteger o casamento.

Xangô dos Raios – É a legião mais conhecida como a do Deus Trovão e Senhor dos Raios. É o comandante dos caboclos que trabalham na pedra do raio, simbolizando a justiça que vem do alto, ou seja, a justiça cósmica que vem do Deus Criador. Sua força é muito solicitada nas horas de aflição causadas por injustiças provocadas por outras pessoas.

Sincretismo: São Jerônimo
Sexo: Masculino
Trono: Justiça
Cor: Marrom
Atuação: Justiça, razão, sabedoria
Ferramentas/Oferendas: Alguidar, pé de porco, feijão preto, cerveja preta, vinho tinto seco, licor de ambrosia, pedra, machado de dois gumes
Flor: Lírio branco ou amarelo, cravo e palma branca
Ervas principais: erva de Sta Maria, hortelã, levante, goiabeira, manjericão roxo, noz moscada, romã, urucu e morangueira
Guia: miçanga cristal marrom

Local: Pedreira, montanha e cachoeira
Comemoração: 30 de Setembro
Saudação Xangô: “Kaô, Xangô!” ou “Kaô Kabecile!”

Clique aqui para conhecer a oração a Xangô