Baianos

baianos

O Baiano representa a felicidade e a simplicidade existente em um povo fragilizado, que sofreu e aprendeu na “escola da vida”. O reconhecido caráter de bravura e irreverência do nordestino migrante parece ser responsável pelo fato de os Baianos terem se tornado uma linha de grande freqüência e importância nas giras de todo o país.

De um modo geral, Baianos são tidos como alegres e orgulhosos de sua identidade cultural. Nas giras, eles se apresentam com forte traço regionalista, principalmente em seu modo de falar cantado e em seu modo dançar. Possuem uma grande capacidade de ouvir e aconselhar, conversando bastante e passando segurança ao consulente.

São espíritos alegres, brincalhões, descontraídos, mas que também realizam trabalhos de “desmanche”, de Kiumbanda e de magia.

Os trabalhos com a corrente dos Baianos trazem muita paz, passando perseverança para vencermos as dificuldades de nossa jornada terrena. Suas oferendas devem ser feitas próximas de pés de coqueiros ou nos pontos de força dos Orixás que os regem.

Cor: Branco / amarelo / laranja
Atuação: Cura e quebras de demanda/magia
Ferramentas/Oferendas: Palha, renda, búzios, sementes, ervas, azeite de dendê, coco, água de coco
Guia: Em geral: sementes de coco (coquinho)
Flores/Ervas: girassol, palmas e rosas amarelas, primavera, gérberas (amarelas, laranjas ou vermelhas), flores do campo; buchinha do norte, folhas de fumo, folhas de pitanga, peregum rajado, alfavaca, mamona, hortelã, chorão
Comemoração: 25 de Novembro ou 12 de Janeiro (Senhor do Bonfim)
Saudação Baiano: “Salve o Senhor do Bonfim!”