Iemanjá

iemanja

Rainha do Mar, é um dos Orixás mais conhecidos do Brasil. Senhora das águas, não há filho que não faça sua reverência ao por seus pés no mar. Está associada a Nossa Senhora da Conceição e a Nossa Senhora dos Navegantes. Seus atributos são a maternidade, a abundância e a generosidade. Favorece os cuidados com os filhos e a vida familiar. Senhora das águas salgadas, ela protege contra os perigos do mar.

Iemanjá é conhecida nos terreiros pelo seu canto longo (outros dizem que é uma espécie de choro). Iemanjá não tem uma falange especifica, porém, em sua linha há as sereias e princesas do mar, conhecidas por Janaína. Sua imagem é representada por uma mulher de cabelos compridos e negros, com um vestido azul comprido de mangas largas sobre as águas e com flores a sua volta; de suas mãos saem gotas de águas que mais se parecem com moedas (a riqueza do mar), e na cabeça uma coroa que pode ter uma estrela no centro.

A majestade dos mares, Senhora da calunga grande (mar), é a deusa do mar e protetora das mães e das esposas, representando a mãe que protege os filhos a qualquer custo, a mãe de vários filhos, ou vários peixes. Adora cuidar de crianças e animais domésticos.

Iemanjá é a “Mãe da Vida”, e como tudo o que existe só existe porque foi gerado, então ela está na geração de tudo o que existe. Ela tem nessa sua qualidade genésica um de seus aspectos mais marcantes, pois atua com intensidade na geração dos seres, das criaturas e das espécies, despertando um amor único pela sua hereditariedade. O amor maternal é uma característica marcante dessa divindade da Geração e quem se coloca de forma reta sob sua irradiação logo começa a vibrar este amor maternal, que aflora e se manifesta com intensidade. Iemanjá, por ser em si a Geração, está na gênese de tudo, como os próprios processos genéticos.

Iemanjá, por ser em si mesma a qualidade criativa e geradora de Olorum, então gera de si duas hierarquias divinas: a Criatividade, que gera em si mesmo essa qualidade e a irradia de forma neutra a tudo o que vive, tornando todos os seres, criaturas e espécies muito criativos e capazes de se adaptarem às condições e meios mais adversos; outra, a Geração, que é em si mesmo a qualidade genésica do Divino Criador, e gera e irradia essa qualidade a tudo e todos, concedendo a tudo e todos a condição de se fundirem com coisas ou seres afins para multiplicarem-se e repetirem-se.

Sincretismo: Nossa Senhora da Conceição ou Nossa Senhora dos Navegantes
Sexo: Feminino
Trono: Geração
Cor: Azul claro
Atuação: Geração, equilíbrio, criatividade; Auto-estima, maternidade
Ferramentas/Oferendas:
Prato, quartinha, manjar branco, champanhe branca, almíscar, arroz doce, canjica crua, água do mar, perfume, fitas azuis e brancas, barco, talco, leque, coroa, braceletes, pulseiras, conchas

Flor: margarida, rosa branca, palma branca, orquídea, crisântemo branco e azul, flor de laranjeira
Ervas principais: alga marinha, anis estrelado, azaleia, hortênsia, gerânio, malva branca, pata de vaca
Guia: Miçanga cristal azul
Local:
Mar (calunga grande)

Comemoração: 08 de Dezembro (Nossa Senhora da Imaculada Conceição) e 02 de Fevereiro (Nossa Senhora dos Navegantes)
Saudação Iemanjá: “Odoiá minha Mãe!” ou “Odociaba minha Mãe!”

Clique aqui para conhecer a Oração a Iemanjá