Entidades de Esquerda

Um grande desrespeito, ou equí­­voco, que se comete contra as entidades da Esquerda é o fato de associá-las a malandros de rua, cafetões, prostitutas, arruaceiros e pessoas sem caráter, como se o médium estivesse manifestando um espírito terrível e vingativo. Essas atitudes não pertencem à sua cultura. Exus e Pombas-giras doutrinados trabalham a serviço da Luz, assim como um preto-velho ou caboclo.  São denominadas entidades “de Esquerda” porque encontram-se à esquerda dos sagrados orixás.

As entidades da Esquerda na Umbanda (exus, pomba-giras, pombas-giras mirins e exu-mirins) são espíritos com­promissados com a espiritua­lidade superior, que falam em perdão, em Lei, em ação e reação, em fé e em Deus. Têm sua própria personalidade, vestindo-se, comendo e falando à sua maneira, da mesma forma que acontece nas demais linhas de Umbanda.

Geralmente, os terreiros de Umbanda trabalham com essas entidades em dias exclusivos, ou seja, numa Gira da Esquerda, a consulta fica por conta dos Exus e Pomba-giras e não a cargo de uma linha da direita (caboclos, pretos-velhos, boiadeiros, marinheiros etc).

É importante ficar claro que na Umbanda não há matança de animal, não existe trabalho de amarração e não se faz trabalhos para trazer a pessoa amada de volta. Na Umbanda não existe nenhum tipo de cobrança. Não há milagres, e sim merecimento, principalmente através de uma reforma íntima.